São Paulo FC | Clube Soberano do Futebol Brasileiro

Dizer que o time do São Paulo Futebol Clube é o Soberano do futebol brasileiro, não é um exagero. Afinal, que clube possui tantos triunfos e até honrarias? Vamos falar de um gigante do futebol!

O São Paulo Futebol Clube surgiu em 1930 – o mais jovem dos quatro grandes clubes paulistas.

O nascimento veio da união de dois clubes tradicionais no futebol do estado, o Paulistano – que já tinha conquistado onze títulos estaduais – e a Atlética das Palmeiras, campeão em três ocasiões.

O Tricolor já começava com história de vencedor, a data de criação foi definida em 25 de março, a mesma de fundação da cidade e o estádio seria a Chácara da Floresta, de propriedade da Atlética.

Logo no primeiro ano, o clube foi vice-campeão paulista e conquistou o título no ano seguinte. Com isso, o Soberano já começava a mostrar que sua trajetória honraria os clubes que o criou.

Porém, em 1935, diversos conselheiros do clube, descontentes com as brigas entre os clubes, a CBD e a federação paulista, decidiram fundir o clube com o CR Tietê, acabando com o futebol do Soberano e nasceria então o Tietê São Paulo, o maior clube social do país.

No final do mesmo ano, um grupo de jogadores e sócios decidiu retomar as atividades como um clube de futebol e iniciaram uma trajetória que culminou com uma das maiores salas de troféus do futebol brasileiro.

O São Paulo está em terceiro na América Latina em títulos internacionais, atrás apenas do Independiente e do Boca Juniors, ambos da Argentina.

Galeria de respeito | Quantos títulos tem o São Paulo Futebol Clube?

Se existe um clube de futebol que mais merece o título de campeão de tudo é o São Paulo.

Certamente, teremos polêmica sobre um título nacional e um internacional que o Tricolor não possui – e que o Internacional tem na sua galeria, porém quando o assunto são os campeonatos mais importantes, nem o fantástico Santos de Pelé é capaz de superar.

Por outro lado, vem amargando um incômodo jejum em competições nacionais – a última foi o Campeonato Brasileiro Série A em 2008. Portanto já são onze anos sem título, um período longo demais para um clube tão acostumado a levantar taças.

Quantas vezes o São Paulo ganhou o Campeonato Paulista?

O São Paulo conquistou vinte e um campeonatos paulistas, sendo o primeiro em 1931, logo no ano seguinte à sua fundação. Obteve um título invicto em 1946.

Entre 1971 a 2000, conquistou onze taças. Porém, sua última conquista foi em 2005.

Esse jejum de quatorze edições, além de ser uma eternidade para uma equipe tão acostumada a títulos, revela a irregularidade do clube na competição; é o quarto colocado em títulos, atrás dos outros três grandes clubes, e o único da elite que nunca conquistou um tricampeonato.

Quantas vezes o São Paulo ganhou o Campeonato Brasileiro?

O Campeonato Brasileiro é a especialidade do São Paulo: seis conquistas e todas na fase moderna da competição, como é chamado o período que começa em 1971.

A primeira aconteceu em 1977 em uma final que só foi disputada em 1978 – só uma das incoerências de uma competição que era moldada anualmente a interesses nada esportivos.

A decisão em jogo único – tensa e violenta – com o Atlético (MG) terminou 0-0 no tempo normal e na prorrogação. Venceu a primeira decisão por pênaltis na história da competição.

Em 1986, São Paulo e Guarani decidiram em duas partidas, um empate e uma das melhores finais da história do Brasileiro em Campinas.

Depois do Guarani salvar a decisão no último lance do tempo normal, empatando em 2-2 e o atacante tricolor Careca empatar em 3-3 no último minuto da prorrogação, o tricolor sagrou-se bicampeão nos pênaltis.

Em 1991, em um sistema de disputa igual ao atual de pontos corridos, o São Paulo terminou líder, levou a vantagem e venceu a semifinal com o Atlético (MG). Na final com o Bragantino, venceu a  partida no Morumbi e garantiu o título com um empate em Bragança Paulista.

Entre 2006 e 2008 acontece o maior feito do clube no Campeonato Brasileiro: o primeiro e único tricampeonato até hoje.

Como a competição já era disputada em sistema de pontos corridos, não há um jogo decisivo. Em 2006, o tricolor terminou com nove pontos de vantagem sobre o Internacional. Em 2007, a vantagem final foi ainda maior: quinze pontos sobre o Santos.

O Soberano demonstrava ser a equipe que aprendeu rápido a disputar um campeonato onde a regularidade é o principal pré-requisito.

Em 2008, o São Paulo foi hexacampeão com apenas três pontos sobre o Grêmio, o que era um sinal de que as demais equipes começavam a aprender também – o campeonato então ficou alternado entre várias equipes e o tricolor entrou na fila onde está até hoje.

Quantas vezes o São Paulo ganhou a Copa Libertadores?

Ao lado do Grêmio e do Santos, o São Paulo é um dos copeiros da Copa Libertadores, são três conquistas, sendo um bicampeonato.

Em 1992, depois de uma semifinal dramática com o Barcelona do Equador, em que a vaga foi garantida mesmo perdendo em Guayaquil  por 2-0, a decisão foi contra o Newell’s Old Boys.

Uma derrota na Argentina e uma vitória em no Morumbi pelo mesmo placar levaram o título para os pênaltis. Vitória do tricolor por 3-2.

Em 1993, o São Paulo se reencontrou com o rival da final de 1992 nas oitavas e atropelou. Em seguida, eliminou o Flamengo nas quartas, o Cerro Porteño do Paraguai nas semifinais e decidiu com a Universidad Católica do Chile.

No primeiro jogo, goleou com um 5-1, perdendo por 2-0 no jogo em Santiago, sagrando-se bicampeão da América.

Em 2005, eliminou o rival Palmeiras nas oitavas com duas vitórias, resolveu a disputa das quartas goleando o Tigres do México por 4-0 no jogo de ida e fez o clássico com o River Plate da Argentina nas semifinais, vencendo as duas partidas.

Na final com o Atlhetico (PR), segurou um empate em Curitiba e atropelou na segunda partida com um 4-0. Tricampeão em um Morumbi já acostumado com tantas festas.

Quantas vezes o São Paulo ganhou o Mundial de Clubes?

O São Paulo possui três títulos mundiais, considerando duas edições da Copa Intercontinental e uma edição do Mundial de Clubes.

Em 1992, com o sistema de jogo único entre o campeão sul-americano e o campeão europeu, o time treinado por Telê Santana enfrentou o Barcelona da Espanha em Tóquio – onde aconteceram todas as decisões de 1980 a 2004 – e venceu por 2-1, de virada e com dois gols de Raí – para muitos o maior jogador da história do clube.

Em 1993, o São Paulo entraria pro seleto grupo de bicampeões e empataria com o Santos de Pelé. Dessa vez o adversário foi o Milan da Itália e a vitória foi por 3-2 com o time paulista sempre em vantagem no placar. Muller marcou o gol do título a 12 minutos do fim.

Em 2005, em Tóquio, já como Mundial de Clubes e com um formato que previa semifinais, o tricolor venceu o Al-Ittihad da Arábia Saudita por 3-2 e decidiu com o Liverpool da Inglaterra. Com um gol de Mineiro ainda no primeiro tempo, veio o tricampeonato mundial.

E com mais uma façanha que nenhum outro clube brasileiro alcançou: venceu todas as edições do Mundial que disputou.

Existe título que o São Paulo não conquistou?

Para se tornar um campeão de tudo, muitos acham que o São Paulo precisa conquistar o único título que falta e que tem um peso considerável – a Copa do Brasil.

E o retrospecto é bastante ruim: desde a primeira edição em 1989 – e se completaram trinta e uma em 2019 – o tricolor esteve em apenas uma final, em 2000 com o Cruzeiro (MG), empatou no Morumbi e perdeu no Mineirão por 2-1 e de forma dolorida: uma virada nos dez últimos minutos.

A Copa do Brasil, pela importância e por classificar o campeão para a Copa Libertadores, é sem dúvida a grande ausência em um currículo tão rico – e não deixa o são-paulino escapar de alguma gozação dos rivais.

O São Paulo já foi rebaixado? Isso Nunca aconteceu!

Se a falta de uma Copa do Brasil na sala de troféus é sempre lembrada pelos rivais, especialmente os paulistas, um fato é sempre esquecido por palmeirenses e corintianos: o São Paulo nunca foi rebaixado para o Campeonato Brasileiro Série B.

Por outro lado, Corinthians e Palmeiras já foram rebaixados. Considerando o sistema de pontos corridos, a partir de 2003 e que melhor define as colocações de cada equipe, a pior colocação do tricolor foi um 13º em 2017.

Se nacionalmente não há dúvidas, no Campeonato Paulista de Futebol existe uma polêmica envolvendo a edição de 1991 onde uma virada de mesa teria salvado o São Paulo de jogar a segunda divisão – como previa o regulamento de 1990. 

Quais as honrarias conquistadas pelo São Paulo Futebol Clube?

As honrarias são uma espécie de título dado a um clube que conquista três competições reconhecidas pela CBF e pela FIFA (Tríplice Coroa) ou quatro competições (Quádrupla Coroa) de forma ininterrupta, mesmo que comece e termine em anos diferentes.

O Soberano conquistou duas Tríplices Coroas e uma Quádrupla Coroa.

  • 1992-1993: Copa Libertadores, Mundial Interclubes e Recopa Sul-Americana
  • 1993-1994: Copa Libertadores, Mundial Interclubes e Recopa Sul-Americana
  • 1993: Campeonato Paulista, Copa Libertadores e Mundial Interclubes
  • 1993: Copa Libertadores, Supercopa Libertadores, Mundial Interclubes e Recopa Sul-Americana
  • 2005: Campeonato Paulista, Copa Libertadores e Mundial Interclubes

Quem é o maior jogador da história do São Paulo Futebol Clube?

Em qualquer clube, especialmente onde a longa história produziu muitos jogadores fora-de-série, sempre haverá uma discussão acalorada: quem foi o maior jogador da história.

E um fator costuma alimentar a discussão: as gerações de torcedores. No tricolor, isso fica muito claro quando falamos dos dois mais reconhecidos: Raí e Rogério Ceni.

Raí foi um craque jogando na posição mais esperada e valorizada pelos torcedores: o meia-atacante e maestro de uma das melhores equipes da história do futebol brasileiro, bicampeã de Copa Libertadores e do Mundial de Clubes em 1992 e 1993.

Foi campeão brasileiro em 1991 e cinco vezes campeão paulista, uma delas em 2000 quando retornou ao Morumbi depois de brilhar jogando pelo PSG na França por oito anos.

De estilo refinado, passadas largas, muita visão de jogo e força física, exibia um estilo que o futebol brasileiro estava perdendo depois de craques como Falcão, Sócrates (irmão de Raí), Zico, Gérson e tantos outros.

Além da qualidade excepcional, Raí representava a classe e um certo ar sofisticado dentro e fora de campo, o que sempre combinou muito com o perfil da torcida na época.

Rogério Ceni é certamente o goleiro mais bem sucedido do futebol mundial.

Além da excelente técnica e uma liderança dentro e fora de campo, Ceni tem um diferencial sobre quase todos os demais goleiros: um exímio cobrador de faltas e pênaltis.

Ter Rogério Ceni no time era como ter doze jogadores para fazer gols – são sessenta e um gols de falta e setenta de pênalti, quase o dobro do segundo maior goleiro artilheiro, Chilavert do Paraguai. Uma marca que dificilmente será alcançada.

Foi jogador de um clube só por nada menos que vinte e cinco anos (1990-2015) e nele disputou 1237 partidas e conquistou doze títulos, o reconhecimento de torcedores são-paulinos e adversários de mais de uma geração e o respeito profissional de colegas e imprensa.

E na sua opinião, quem foi maior: Rogério Ceni ou Raí?

Qual o maior artilheiro do São Paulo Futebol Clube?

Serginho (ou Serginho Chulapa) é o maior artilheiro da história do São Paulo, com 242 gols em 399 partidas e jogando de 1973 a 1982. Apesar do longo período, foi o maior goleador apenas duas vezes:

Conquistou o Campeonato Brasileiro de 1977 e os Campeonatos Paulistas de 1975, 1980 e 1981. Marcos os dois gols que decidiram o Paulista de 1980 com o Santos e dois contra a Ponte Preta nas finais de 1981.

Da mesma forma que fazia gols, Serginho produzia confusões em campo.

De temperamento explosivo, ficou quatorze meses suspenso por agredir um auxiliar em um jogo do Brasileiro de 1977 – ficou fora da decisão – e na final do Brasileiro de 1981 agrediu o goleiro Leão, então no Grêmio, e foi expulso.

Morumbi: salão de festas das conquistas do São Paulo

Para um soberano, um grande salão de festas. É assim que podemos definir o Estádio Cicero Pompeu de Toledo, o Morumbi, palco dos jogos do clube a partir da inauguração em 1960.

De 1960 a 1970 o estádio continuou sendo construído e o São Paulo jogou nele, até agosto de 2019, cerca de 1700 partidas, sofrendo apenas 279 derrotas.

É o maior estádio paulista e o terceiro maior do Brasil, projetado para receber 150 mil pessoas por décadas e hoje foi remodelado para um público de no máximo de 67 mil pessoas.

Curiosamente, o maior público do estádio não pertence a um jogo do tricolor e sim à segunda partida da série decisiva do Paulista de 1977 entre Corinthians e Ponte Preta – 146 mil pessoas.

Por décadas, ele foi usado por Corinthians e Palmeiras em suas decisões e jogos de grande apelo, até que as arenas de Itaquera e Allianz Parque foram construídas.

O maior público do Soberano no Morumbi é de 122 mil pessoas em 1980 na final do Paulista com o Santos. E ali a torcida são-paulina comemorou as suas maiores glórias nacionais e sul-americanas.

São Paulo e suas rivalidades históricas

As rivalidades locais podem ter tanto ou mais peso na vida dos torcedores, especialmente em um estado onde os quatro maiores clubes são ricos, com grandes torcidas, estádios e histórias gloriosas.

O São Paulo, nesse quesito, leva desvantagem em relação ao seu maior rival, o Corinthians, com vinte e três derrotas a mais em relação às vitórias. Contra Palmeiras e Santos, o tricolor, pequena contra o alviverde e maior contra o time santista.

Como surgiu o mascote do São Paulo Futebol Clube

O mascote do São Paulo é um dos casos de escolha que nunca teve mudanças de personagem ao longo dos anos, como já aconteceu com alguns clubes que mudaram seus mascotes ou até assumiram mais de um a partir da mudança de comportamento social das suas torcidas.

A imagem do velho santo foi criada por um cartunista nos anos 40 e logo caiu no gosto dos torcedores, pela associação com o nome do clube e por representá-lo de uma forma mais suave.

O nome oficial do mascote é Santo Paulo, ao contrário do que muitas pessoas podem imaginar. É uma forma de diferenciar do nome do clube.

Não existe uma caracterização oficial de Santo Paulo, inúmeras versões dele já foram criadas ao longo dos anos.

O que as estrelas representam no escudo do São Paulo Futebol Clube?

O escudo do clube possui cinco estrelas:

  • As três estrelas vermelhas representam as conquistas dos Mundiais de Clubes
  • As duas estrelas amarelas representam o bicampeonato olímpico de Adhemar Ferreira da Silva em 1952 e 1956 no salto triplo

Gostou desse artigo sobre o São Paulo FC?

Esperamos que ele tenha ajudado você a conhecer mais sobre a São Paulo Futebol Clube, um clube com uma torcida apaixonada e com uma das maiores histórias de conquistas do futebol mundial!

[visual_portfolio id="2282"]